Assentos/Bidet automático

março 17, 2009

Assento com bidet X5500 Luxo 220 volts Alta Pressão – Termofixo

 

VENDAS SOMENTE ON LINE!

PARA COMPRAR É SUPER FÁCIL

Basta clicar na cor do produto desejado que imediatamente será aberto seu carrinho com o produto selecionado.

Perfeito, á partir dai é só seguir as instruções.

Torneira da acessibilidade

julho 4, 2008

ECONOMIZE ÁGUA E SALVE O PLANETA !

Além de economizar água a torneira automática, evita o CONTÁGIO de vermes e bactérias, proporcionando mais higiene e saúde para você e todos de sua casa, escritório, consultório, enfim em qualquer banheiro se torna imprescindível o seu uso.

Lançamento da Mil Assentos, milassentos, chega ao mercado em 2 tamanhos, 14 cm de altura com preço de lançamento de R$ 500,00 e a maior de 16 cm por R$ 550,00, tudo em 3 vezes sem acréscimo no cartão e entregue em qualquer lugar do Brasil.

Mil Assentos

A Mil Assentos, milassentos, localizada no tradicional bairro de Pinheiros em São Paulo, tem um show room na av. Pedroso de Morais, 351.

A Mil Assentos atende pelo telefone 11 3032.0074 e 11 3032.8964.

Ligue e tire suas duvidas ou peça mais informações.

PRODUTO DISPONÍVEL NA MIL ASSENTOS 11- 3032 0074

LIGUE PARA 11- 3032 0074 OU ACESSE: http://milassentos.blogspot.com/

Bidê por 695 reais da NAIS é na MIL ASSENTOS

julho 4, 2008

Com oscilação e ação. Isso significa que o jato de água, que é preenchido com bolhas, forneça um volume necessário de água, uma vez que lavagem assegura completa limpeza.

O sistema oferece bicos injetores com condições higiênicas separados: um para uso geral e especialmente para uma higiene feminina. Bico injetor “angular” é destinadas a garantir a exatidão e conveniência. Bicos enquanto não recue na sua utilização.

Dica e ele fecha a tampa e gradual. Mesmo se você bater-la acidentalmente. O banco tem o mesmo mecanismo de perto gentil. O assento tem uma função opcional de aquecimento que mantém a temperatura de sua escolha.

Acesse: www.fisioterapiaonline.com.br

TECHNORATI

maio 10, 2008

<a href=”http://technorati.com/claim/he6yaggfk” rel=”me”>Technorati Profile</a>

Câmara lança áudio sobre acessibilidade

maio 8, 2008

Depois de uma longu�ssima história - quase a História da Humanidade - o tema da Acessibilidade começa a ser percebido em toda a sua extensão, no discurso legal ao menos.

Prestes a completar 25 anos de fundação, a Adefav (Associação para Deficientes da Áudio Visão) busca educar surdo-cegos e multideficientes (pessoas com mais de uma deficiência) para que eles sejam incluídos na família e na sociedade. Para isso, a entidade, formada por pais de alunos, amigos e profissionais da área, desenvolve atividades terapêuticas, educacionais e profissionalizantes para cerca de 110 alunos.
No início, a casa atendia somente surdo-cegos, em parceria com escolas municipais de cinco regiões da capital. O trabalho foi desenvolvido até a criação da atual sede, localizada no Ipiranga (zona sul). “O novo espaço foi construído com recursos de uma fundação alemã e acompanha as atuais normas técnicas de acessibilidade“, comenta a supervisora de programas da associação, Helena Burges.
Entre as atividades da Adefav está uma escola para crianças e adolescentes com idades entre três e 18 anos. Há três faixas de atendimento distintas: educação infantil, acadêmico e acadêmico funcional. Nas aulas especiais, são desenvolvidas habilidades de linguagem, comunicação, socialização, leitura e trabalho. Em meio ao processo, familiares colaboram e também são orientados. “A ação conjunta possibilita também um aprendizado dentro de casa, após uma prévia orientação dos pais”, comenta o assistente administrativo da Adefav, Marcelo Santos.
Outro trabalho da associação é a oficina pedagógica, dividida entre aulas de culinária, papelaria, bijuteria, mosaico e biscoito para cães. “O material produzido pelos alunos é revendido na sede da entidade”, conta Santos.
A capacidade motora dos deficientes é aprimorada por meio de aulas de educação física, no pátio da sede, e de atividades aquáticas adaptadas, em uma piscina separada em dois níveis de profundidade, para crianças e adultos.

A entidade está incluída no Fumcad (Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) e aceita doações em dinheiro, por meio de abatimento no Imposto de Renda de pessoas físicas ou de empresas interessadas em colaborar. Também são aceitos computadores, mesas, cadeiras e DVDs, entre outros equipamentos. O material é necessário aos projetos do setor de informática e do auditório, onde são ministrados cursos. Há 35 voluntários na casa, mas novos colaboradores são bem-vindos.

A Mil Assentos é uma loja especializada em acessórios para acessibilidade, consulte a loja e adquira as melhores barras de apoio, assentos, vaso sanitário especiais.

Ligue para: 11-3032 0074

www.milassentos.com.br/blog

Mercado Municipal de SP e Acessibilidade

maio 8, 2008

Depois de uma longu�ssima história - quase a História da Humanidade - o tema da Acessibilidade começa a ser percebido em toda a sua extensão, no discurso legal ao menos.

DSC05584 - DSC05584

Tiraram umas fotos do Mercado Municipal e vou postar aqui no blog, fica também como dica para todos de um local acessível para os cadeirantes!

Estacionamento, apenas duas vagas para deficientes um ponto negativo.

DSC04787 - DSC04787

Banheiro Acessível com bastante espaço da para entrar com a cadeira fechar a porta sem ficar espremido.

DSC04781 - DSC04781

O Mercado é muito conhecido pelo famoso pastel de bacalhau e o sanduíche de mortadela.

Você que quiser indicar lugares acessíveis como esse, escreva para nós postarmos no blog! Essa troca de informações é muito legal e importante!

E na se esqueça precisou de acessibilidade consulte a Mil Assentos 11-3032 0074

www.milassentos.com.br

São Paulo acessível

maio 8, 2008

Depois de uma longu�ssima história - quase a História da Humanidade - o tema da Acessibilidade começa a ser percebido em toda a sua extensão, no discurso legal ao menos.

O post  de hoje fala sobre comércio com espaço próprio para os cadeirantes.

Personalidades oferecem presentes: que tal mudar o seu jeito de pensar e melhorar a vida por aqui? Hoje, o dono de um restaurante sugere: pense no deficiente físico.

“Meu pedido para São Paulo é que todos aqueles que têm comércio pensem no cadeirante”, pede o chef Roberto Raviolli. “Esta pessoa tem que ter acesso, isto é um direito. É um direito que eles tem de ir ao restaurante, um café e curtir a vida”, completa.

Ele mostra o seu restaurante, que foi construído pensando nisto. “Aqui foi muito simples. Como a entrada é muito pequena para passar uma cadeira, eu coloquei uma simples abertura de porta, com 1,30 metros, por onde pode passar um cadeirante’, diz o empresário.

“É claro que coloquei uma rampa, pois sem ela, o acesso não é tranqüilo. O acesso pelo salão fica livre graças à disposição das cadeiras, que não ficam de frente”, fala Roberto.

”Também é importante que ele tenha fácil acesso ao toalete, que também é preparado para recebê-lo, que está devidamente sinalizado. A porta do banheiro dele é maior do que nos convencionais e não há degrau no acesso”, explica.

Outro fator importante são as luzes do toalete. “Elas devem se acender automaticamente, assim facilita para o cadeirante. O banheiro também deve ter barras para auxiliar na hora de usar o toalete”, finaliza Roberto.

UMA LOJA QUE SEMPRE PENSA EM ACESSIBILIDADE É A MIL ASSENTOS LIGUE E CONSULTE PREÇOS DE PRODUTOS PARA CADEIRANTES COMO BARRA DE APOIO.

11-3032 0074

Cadeirante- superação e determinação

maio 8, 2008

Depois de uma longu�ssima história - quase a História da Humanidade - o tema da Acessibilidade começa a ser percebido em toda a sua extensão, no discurso legal ao menos.

Vítima de um acidente grave, uma mulher decide enfrentar todos os obstáculos em busca da maternidade. A recompensa veio em dose dupla.

“Essa história da praia, de pisar na areia é uma das coisas que eu mais sinto falta desde que eu sofri o acidente”, conta Flávia.

Flávia tem 34 anos. O acidente foi quando ela tinha 18, quando voltava de uma viagem com o namorado.

“Perdeu o controle, capotou, e quando o carro parou eu já senti um estalo no pescoço e parei de sentir o meu corpo do pescoço para baixo”, lembra ela.

Flávia ficou tetraplégica. Muitos diriam: “E viveu infeliz para sempre”.

Não, não a Flávia.

“Eu sou uma pessoa de muita sorte, as coisas na minha vida sempre deram muito certo”, diz ela.

Viver em uma cadeira de rodas não impediu Flávia de continuar vaidosa, ser bem sucedida profissionalmente e nem de sonhar, como qualquer outra mulher, em ser mãe.

E aí, começa uma outra história…

Quando a Flávia descobriu que estava grávida, o que ela mais ouviu dos médicos foi: dificilmente com a sua deficiência essa gravidez vai chegar até o fim. Mas ela não desistiu. Ela teve dois filhos de uma vez, os gêmeos Mateus e Mariana.

Fantástico: Em algum momento você pensou em desistir?

Flávia: Imagina, claro que não. Quando eu soube que eu tava grávida eu me senti abençoada e, desde o começo, eu tive muita certeza que ia dar tudo certo. As mulheres com deficiência não são encorajadas a engravidar. O que mais haviam eram perguntas sem respostas.

Fantástico: O médico está despreparado para receber uma paciente gestante tetraplégica?

Dra Míriam Waligora: Não está preparado porque eles não tiveram formação para lidar com as complicações da paraplegia e tetraplegia.

A Dra Míriam é uma das únicas especialistas no Brasil no assunto. E apesar de ser uma gravidez de alto risco ela quer que todos saibam: “A paraplégica engravida, dá a luz, é feliz com seus filhos”, alerta ela.

Fantástico: O médico que diz não, você não deve engravidar, ele tem preconceito?

Dra Miriam: Ele muitas vezes está sendo prepotente, porque na verdade está ali metabolizando: o que essa mulher vai fazer com filho, como é que ela vai correr atrás dele, como ela vai brincar com ele?

Fantástico: Tá julgando?

Dra Miriam: Tá julgando.

Fantástico: Qual era a reação das pessoas ao ver você grávida em uma cadeira de rodas?

Flávia: Quando eu dizia que eram gêmeos, as pessoas tinham certeza que tinha sido inseminação artificial. Acho que as pessoas não imaginam que exista vida sexual e, se existe, não imaginam que é possível ficar grávida.

Nem o marido dela, no início, não tinha essa informação.

“Primeiro quando a gente pensa em mulher a gente pensa em sexualidade. Será que eles fazem sexo? Quando eu andei em volta das pessoas, eu fui até em pessoas que tinham deficiência mais perto da Flávia, que pudessem me dizer um pouquinho sobre ela. Olha a Flávia sente, ela tem sensibilidade, ela não mexe as pernas mas ela sente o toque. Então o prazer é outro, quando a pessoa não tem sensibilidade é diferente, tem que buscar outras formas de prazer. Eu fui aprendendo sobre esse mundo mais complexo, eu acho que até mais feminino”, explica Pedro Corradino.

“Especialmente no Brasil a gente tem essa coisa muito forte da bunda e, quando você está sentada na cadeira, você não tem esse instrumento de sedução. Você tem que criar outros jeitos de seduzir quando você quer seduzir”, acredita Flávia.

Quando soube que estava grávida de gêmeos, Flávia decidiu transformar essa experiência em um documentário.

“Esse filme foi pensado para compartilhar a história da gestação e dos primeiros tempos depois do nascimento”, explica Flávia.

Mateus e Mariana estão com oito meses.

Fantástico: Flávia, você ta desenvolvendo outras habilidades conforme as crianças estão crescendo?

Flávia: Eu não tenho movimento nos dedos da mão. Eu aprendi um jeito de encaixar o talher na minha mão, usando o movimento de pinça e alavanca, sem que a deficiência que eu tenho, a falta de movimento nos dedos, me impeça de comer sozinha, ou de dar comida para os meus filhos.

Ela acompanha a troca de fralda, a hora de lavar o bumbum e quando mariana pede colo…

Fantástico: Poder pegá-los no colo, era um medo quando você engravidou?

Flávia: Eu sabia que eu podia pegar, mas eu tinha medo de não conseguir virar de um lado para o outro o nenê com conforto. Medo de derrubar, de machucar. Eles foram me ensinando a ser mãe e a cuidar deles. A gente foi tendo uma comunicação corporal mesmo.

Fantástico: Você acha que eles percebem quais são as suas limitações?

Flávia: Eu tenho certeza disso. No meu colo eles são muito mais comportados e obedientes do que no colo da tia, das avós, do pai. Eles sabem que comigo o comportamento tem que ser diferente porque eu sou diferente.

“A paraplégica que toma a decisão de engravidar, ela é em primeiro lugar uma heroína”, acredita a Dra. Miriam.

Fantástico: Você planejou?

Flávia: Não, foi um acidente. O melhor acidente da minha vida.

Seja Bem vindo!

maio 8, 2008

SEJA BEM VINDO AO NOSSO BLOG, AQUI VOCÊ VAI ENCONTRAR NOTICIAS DO MUNDO DA ACESSIBILIDADE, DEFICIENTES FÍSICOS E MUITO MAIS.

SEJA BEM VINDO AO NOSSO BLOG, AQUI VOCÊ VAI ENCONTRAR NOTICIAS DO MUNDO DA ACESSIBILIDADE, DEFICIENTES FÍSICOS E MUITO MAIS.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.